domingo, dezembro 25, 2016

aquelas coisas que só quem entende é a gente, sabe?



Hoje me lembrei dos referencias e motivos iniciais que me fizeram criar uma página cheia de códigos na internet, o que me fez mantê-la e como eu me via diante do que eu construí. 

Final de ano tem dessas, eu sempre me autoavalio, confiro se cumpri com minhas metas pessoais, o que alcancei e as diferenças da Juliana de um ano atrás.

Foi no final de 2015 que tudo isso aqui começou a movimentar, animada com os resultados quis criar mais e mais, falando de coisas que eu gosto, escrevendo uns textos sobre como me sentia, falando de forma tímida sobre moda e alguns filmes que eu via.

O sucesso estabilizou e me frustrei com a diminuição de interação que tínhamos, as pessoas somem e eu não estou falando somente de quem me lia por aqui.

Comecei a me doar por inteira pra cá, virava noites fazendo posts que até tinham um conteúdo bom o suficiente para fazer as pessoas quererem estar aqui, divulgava da melhor forma para não aborrecer ninguém - o que é complicado, tem vezes que você cansa de ser educada e só quer lotar de spam pra fazer com que a pessoa vá até onde você pede e mostrar o quão bom é o que você faz, pode parecer prepotente, mas é a realidade - e até que eu conseguia trazer alguns, poucos ficavam, entretanto enquanto viesse resultado mesmo que pequeno já era satisfatório.

Teve um momento que eu só me cansei desse comércio complicado de troca de seguidores e comentários, todas minhas vontades de continuar com isso sumiram e eu só conseguia manter meu espaço que foi feito tão aos poucos a base de projetos fotográficos que se tornaram obrigatórios e cansativos para mim e textos escritos no ano de 2015, que não representavam nada como me sentia, mas era o que tinha.

De tanto falarem que o que eu tenho aqui é um blog, aceitei o título, mas Folhas de Outono não é um blog, é um site que eu criei para eu postar o que eu quiser, com as palavras que me fazem bem, do meu jeitinho, é a personificação de Juliana Beatriz online e porque eu não sei, mas eu sempre quis me projetar online. Talvez tenha sido as pessoas que cativei e ajudei durante anos em redes sociais e outros lugares na internet.

Aliás, nunca contei, mas o nome desse site é a tradução livre de uma música do Ed Sheeran, um cantor que eu gosto muito e que teve presença durante toda minha adolescência. A razão para levar esse nome eram minhas intenções de ter um lugar para que eu pudesse falar com algumas pessoas de forma livre, sem pudor e sem censura sobre o que eu gosto e acho de certas coisas, fugi totalmente disso e virei uma escrava do que as pessoas gostavam, mas não eu.

Hoje eu vi que perdi de ter registrado de forma mais sincera sobre alguns momentos que eu passei, situações divertidas que eu queria ler depois e fotos que eu realmente queria ter fotografia, esse site é mais para mim do que qualquer outra pessoa, é o MEU espaço e eu não abro mão de ser eu aqui. 

Se você, leitor antigo, quiser continuar pra talvez descobrir quem é que vos fala, seja bem-vindo (a).
Mas se você não curtir muito esses conteúdos novos que vai vindo aos pouquinhos, muito obrigada por ta aqui cumprindo seu papel, como eu estava.

Mesmo sendo totalmente leiga no assunto, eu vou falar mais de cinema e moda, eu amo muito esses dois tópicos. Vou também gravar alguns vídeos com cenas aleatórias, quem sabe eu não fale de coisas estranhas que eu percebo na literatura? Posso falar da sensação de ouvir 5 a seco as 04:50 am também, eu tenho muita coisa pra falar, 2016 não foi perdido porque registrou o que eu procurava pra cá mas hoje, números não tem a mesma importância de antes.

Queria poder garantir algo a você mas eu não faço ideia do que vai acontecer em 2017, vamos ver né.

sábado, agosto 06, 2016

6 on 6 - Azul


Eu não postei o 6 on 6 do mês passado e nem estou mantendo o blog atualizado, me desculpem mas a verdade é que eu estou com preguiça de vim postar algo, mas é aquele ditado.
O tema desse mês foi uma cor específica para cada pessoa, eu escolhi azul.
6 ON 6 É UM PROJETO FOTOGRÁFICO QUE SÃO 6 BLOGS POSTANDO 6 FOTOS COM ALGUM TEMA QUE ELAS IRÃO ESCOLHER TODO DIA 6. O INTUITO É ESTIMULAR A FOTOGRAFIA E COM ELA MOSTRAR AS PEQUENAS MARAVILHAS DA NOSSA VIDA.

domingo, junho 12, 2016

todo mundo quer chamar atenção.



As pessoas usam a expressão “querer chamar atenção” como uma ofensa; apesar de que, neste momento, em que elas se posicionam contra algo a fim de darem suas opiniões sobre algo ou alguém, elas estão querendo chamar atenção.

A verdade é que não tem problema nenhum em querer chamar atenção.

Vivemos em uma comunidade em que a realidade tornou-se um tabu em que se ninguém falar, não vai existir.

Como por exemplo, ignorar o fato de que para uma foto dê certo ela precisa ser testada em diversos ângulos, que para aprender a tocar bem um instrumento precisa-se de MUITA prática e que ninguém nasceu sabendo de nada.

Ninguém vai a lugar algum com as próprias pernas não sabendo andar.            

E então, quando finalmente conseguir andar sozinho, sem a necessidade de ter alguém te guiando ou sustentando teu corpo, querer compartilhar essa alegria é normal, não para mostrar o quão legal você é ou como todos tem que querer andar com você no recreio, mas porque alegria compartilhada torna-se maior, especialmente no ponto de vista de quem compartilha.

As redes sociais estão aí para isso, para todo mundo poder chamar atenção, seja para os outros ou para si mesmo.

Porque também há momentos em que você está tão deslumbrado com sua conquista e com o que pode conquistar que esquece de que o “pior”, é que deve ser valorizado por mais absurdo que pareça.

A vitória só aparenta ser mais bonita porque é o final do espetáculo, realmente; o início e o meio é o momento em que ninguém quer ter, pois normalmente não se compra produto que é feio e que não fica bem na prateleira da frente. E também porque ninguém gosta de gente que fica reclamando do que é um pouco ruim tendo muita coisa boa na mão. 

Eu não me importo se você gosta de falar da sua viagem para NY, por exemplo, foi uma conquista surreal e sei que contar os bons momentos se tornam ainda melhores, quando você postar suas fotos da Times Square em seu Instagram o prazer vai é indescritível, então eu sou a primeira a apoiar que você compartilhe tudo que for possível, mas não esqueça dos momentos em que você precisou fazer algo para juntar dinheiro para que pudesse ter essa viagem, eu tenho certeza que o momento de finalmente ter conseguido juntar a quantia necessária para realizar seu sonho foi melhor do que ter o poder de compartilhar fotos de um dos lugares mais legais do mundo. Em suma, não fica se achando a topster porque você foi à NY, você precisou se matar de trabalhar para ir até lá.

Outra coisa, se alguém te critica por que você coloca tua foto em um outdoor, na capa do seu caderno ou na tela de seu celular, reavalie se essa pessoa realmente te faz bem, se for preciso afasta-se; implicar contigo pelo teu amor próprio só mostra como essa pessoa é negativa, cada um lida com a autoestima de uma forma diferente.

Você só quer chamar atenção? Chame atenção sim, curtidas e comentários estão aí para aumentar nosso ego que cotidianamente está tentando ser derrubado. As pessoas negam, mas todas elas querem ter atenção, depressão muitas vezes nasce de algum tipo de carência. E eu não ligo se você discorda, no fundo sabemos que é verdade.



Já julguei muito quem "quer chamar atenção", a diferença entre eu ter errado é que não continuei no erro –Inês Brasil feelings. Mas não se esqueça: humildade sempre, em todos os posicionamentos e conquistas, manas!

segunda-feira, junho 06, 2016

6 on 6 - body parts




E mais uma vez, quase não postava o 6 on 6 desse mês por falta de tempo mas é aquele ditado, vamo fazer o que? De qualquer forma, o nosso grupo está com um problema e ta faltando 4 pessoas, quem quiser participar é só falar aqui nos comentários.
O tema desse mês foi pastes do corpo.
6 on 6 é um projeto fotográfico que são 6 blogs postando 6 fotos com algum tema que elas irão escolher todo dia 6. O intuito é estimular a fotografia e com ela mostrar as pequenas maravilhas da nossa vida.

domingo, maio 29, 2016

As 5 lojas online mais legais do mundo parte 2!


Depois de conhecer lojas online maras e ficar devendo por meses a parte dois desse post, resolvi juntar mais lojas e trazer para cá as 5 lojas online mais legais do mundo parte dois, pois além de muitas pessoas terem gostado e ser um dos posts mais acessados do blog, consegui dá uma luz a algumas pessoas darem presentes já que postei no período de natal e dia dos namorados está vindo aí né... *indireta jogada no ar" e eu confesso que gosto mais dessas 5 do que as 5 anteriores. 



Pink Vanilla Shop: Vou começar com a loja mais amorzinho desse post. Manas, é sério, tô juntando um dinheirinho aí pra comprar umas blusinhas já que não quero ir comprando de uma em uma, quero poder fazer um estrago torrando todo meu dinheiro quando for comprar porque com certeza não vou ficar satisfeita tendo SOMENTE uma peça da loja.


Wild Style: A Wild Style é uma loja super atual, sabe todas as roupinhas que estão na moda? Lá tem. Patches estão na moda? Lá tem. Piercings fakes estão na moda? Lá tem. Sutiãs de renda? Lá tem!!! Sempre que entro no site da loja a cada peça que passa pelos meus olhos, é um tiro bem no meu coração.



Saloon 33: O site da Saloon 33 por si só exala moda, as fotos parecem que acabaram de sair de algum photoshoot da Vogue e olha amigos, meu sonho é ver um desfile dessa loja, as peças são lindas e como a loja anterior, super atual.


Wrong Way Store: SABE O TÊNIS QUE PISCA? A WRONG WAY STORE TEM!!! Tem também ele em preto, mais de uma versão desse Creeper, várias blusinhas tumblr, e muitos acessórios aliás, se você procura uma boa loja para comprar piercing do septo fake, essa é a que mais tem variedade mas, não esqueça de ver as chokers, com certeza eu não poderia te dá um conselho melhor.



Pelican Fly: E por última mas claramente não menos importante a Pelican Fly! Ela está com uma coleção Mermaid agora que é a coisa mais linda. E apesar da loja não ser focada somente nas blusas, é a grande parte da loja; as estampas são super divertidas e tem uma blusa de RuPaul's Drag Race que para quem acompanha e gosta da série vai amar.


sexta-feira, maio 06, 2016

6 on 6 - natureza



Mês passado não consegui postas as fotos, o tema era “pale” e foi quase o meu preferido apesar de que, vocês não viram as fotos. Mas, prometo recompensa-los no mesmo nível futuramente.
O tema desse mês foi natureza.
6 on 6 é um projeto fotográfico que são 6 blogs postando 6 fotos com algum tema que elas irão escolher todo dia 6. O intuito é estimular a fotografia e com ela mostraras pequenas maravilhas da nosso vida.

domingo, abril 24, 2016

[Resenha] Livro The Velvets de Ana Aguiar



As resenhas aqui existentes 1º, só estão aqui porque eu gostei MUITO do filme ou do livro, caso contrário, não consigo escrever e montar algo que me fez passar por uma experiência mais ou menos. Segundo, só consigo escrever assim que se inicia o processo de encarar a contracapa do livro ou ver os créditos finais avisando-me que o filme/livro chegou ao fim, eu querendo ou não. A sensação é muito mais prazerosa então os avisando que terminei de ler The Velvets primeira temporada agora.

Título Original: The Velvets
Autora: Ana Aguiar
Gênero: Romance, Colegial
Ano: 2015
Minha Avaliação (0-10): 9

Um escândalo fez Samantha ser humilhada publicamente e abandonar sua escola por dois anos, mas chegou a hora de voltar. Quando ela descobre que o causador da sua ruína não é mais aquele nerd desajeitado e agora é desejado por todas as garotas, seu sangue vai ferver. Ele agora a despreza, e a garota não vai suportar ser esnobada por alguém que destruiu o seu passado. Vingança é um prato que se come frio, não é o que dizem? The Velvets é a história de adolescentes corajosos o bastante para vestirem a crua realidade e desafiarem a hipocrisia através da música.
 photo: @thevelvetsbook

Conheci a Ana através da Vick Cammie que são amigas e assim que vi suas fotos maravilhosas a segui sem pensar duas vezes. Então, em um feriado sem nada para fazer, fui olhar meu feed do Instagram e vi que ela tinha mudado a cor do cabelo para verde, amei? Amei e logo fui stalkea-la para ver todas as fotos com aquele cabelo e na sua bio tinha "Autora de The Velvets, Fazenda Jones e Blazeless!" e abaixo o link do seu perfil no Wattpad. Não sabia que ela escrevia e fiquei bastante curiosa para conhecer suas obras. Cliquei na que mais me chamou atenção e li a sinopse. A primeira coisa que pensei foi "MEU DEUS, uma história de vampiros góticos, eu quero agora" e comecei a ler. A história não tem nada a ver com vampiros gótico, é extremamente melhor.

Ana Aguiar construiu personagens que são riquíssimos em personalidade. Todos, eu não falo um ou outro, mas TODOS são super detalhados, com qualidades, defeitos e atitudes de pessoas ao meu redor, sinto-me até estranha em falar personagens, quando eu só consigo enxerga-los como meus amigos, familiares e colegas. E, enfatizo isso por não ter colocado muita fé na qualidade do livro, já li tanta coisa ruim no Wattpad em relação a esse quesito que fico desmotivada em iniciar qualquer outra história no site, um preconceito que acabou de ser desconstruído graças a The Velvets.

"Durou cinto segundos. CINCO SEGUNDOS! Fala sério, selinhos não intencionais não duram tanto tempo"

Samantha Hollow faz parte da banda The Velvets com três amigos, Alex, Carter e Oliver, e seu melhor amigo David Young o mesmo com que mantêm uma amizade colorida, mas, alguém vaza um vídeo deles em um momento intimo, e cria-se um escândalo atingindo especialmente Sam. Levada pelos fatos que apontam que David é o culpado, eles tem uma discussão que acaba com a amizade e ela resolve ir morar na Irlanda com o pai.

Passados dois anos, Samantha resolve voltar para terminar a escola secundária, mas, chegando a West Newton, ela encontra David que era um menino desajeitado e invisível sendo o mais popular, mais desejado e mais bonito de onde estuda deixando-a transtornada já que ele foi o cara que acabou com sua vida.

Então, para se vingar de David, Sam decide voltar com sua banda e competir contra os Walkers, que é a banda dele com mais três amigos, na Batalha das Bandas que é uma competição entre as escolas particulares de Londres. E meu bem, é aí que tudo começa. 

photo: @thevelvetsbook

O cenário se passa em Londres e não tinha como não ser o encaixe perfeito. A cidade por si só traz o mistério e o drama que a história envolve durante suas páginas, dando razão a tais atitudes dos personagens, visto que é uma cidade cheia de atrativos para adolescentes problemáticos e com gostos musicais tão bons que me dão até vergonha de abrir minhas músicas, sem falar que Londres é o lugar que abrigou e abriga artistas e bandas tão incríveis que me fazem chorar.

E relacionando o fator musical nesse momento, o livro tem A MELHOR PLAYLIST EVER, eu não to brincando. A autora se preocupou tanto nessa característica que elevou o nível da qualidade do livro a 100%. Todas as cenas que rolaram sentimentos, independente se fossem negativos ou positivos, tinha uma música que caso você fosse ouvir de fundo a experiência de ler o momento era indescritível já que tinha tudo a ver com os diálogos. Claro que “música” é um dos pontos mais importantes na história já que, mesmo com as intrigas e relacionamentos, o foco era esse. Querendo ou não, a primeira temporada é desenvolvida ao redor da Batalha das Bandas.    
“-Oliver, seu usuário vai ser “oohlynch” ok? Os outros já estão sendo usados.

-Por quê? Parece que alguém está gemendo o meu nome.

-Exatamente!”
Além da vibe de céu nublado e aconchego que o livro trás, já no início notei as características de Gossip Girl e Skins, minhas duas séries favoritas, e há um vídeo em que a própria Ana fala que suas principais referências são essas duas séries!  

Caso você goste de umas das séries eu recomendo que leia The Velvets, caso não goste de nenhuma das duas séries eu recomendo mais ainda que leia The Velvets. Alguma coisa com certeza você irá gostar muito, acho que é impossível não gostar de The Velvets. Outro ponto para fazer você ler o livro é que a autora é um amorzinho em pessoa, sempre ta respondendo as leitoras e interagindo. 

O livro está disponível até 20/05/2016 após essa data se tornará um ebook e será vendido através da Amazon. 
E se por um acaso da vida, você, Ana Aguiar esteja lendo essa resenha, POR FAVOR, atualiza os capítulos da segunda temporada! 

sexta-feira, abril 15, 2016

02:43


As palavras, antes tão corriqueiras, estão sumindo do meu vocabulário. O papel antes, tão marcado pela caneta, hoje está intacto acumulando poeira. 

E a minha ideia central está escapando de dentro de mim.

Minhas mãos não seguram mais meus pensamentos. Meu cérebro já está exausto de tantos conceitos que eu mesma tento quebra-los dia após dia.  

Não me concentro como antes, estou ficando frustada e amargurada com a arte soltando-se de mim

Tudo está ficando tão mórbido, sem as sentenças saindo dos meus dedos. Estou formulando a ideia de sem querer, estar me entregando para o que não sou.

Espero que essa temporada passe logo.

sexta-feira, abril 08, 2016

março.

domingo, março 20, 2016

recadinho para você.



Você me pediu uma carta, uma carta que eu te falasse como eu estava há um ano, me senti insegura, senti medo e preferi guardar todas as alucinações dentro de mim, mas depois de um ano ainda enxergo-as, então se eu liberta-las, me deixarão em paz?

Vou te contar tudo. Inicialmente eu estou bem, na medida do possível as coisas estão “ok”, eu sei das minhas obrigações diárias, e sei que se eu não correr atrás do prejuízo, tudo terá sido em vão e enquanto escrevo isso, marco na minha pele como uma tatuagem para lembrar o que eu tenho que fazer, não se preocupe com a dor nem com as cicatrizes, depois de tudo elas cessarão.

Vou ligar mesmo o foda-se, sabe? Tanto que vou fazer algumas coisas que se fosse a X de um ano atrás quebraria as próprias pernas para impedir que alguém descobrisse.
Não se preocupe, não vou fazer a mesma burrada de um ano atrás, vou cuidar bastante do que sou, sei o valor das coisas e o quão importante são... E aprendi isso da pior maneira possível. 
Você se lembra dos últimos dias do seu 2015 e espero que seu final de 2016 seja bom o suficiente para suprir o que 2015 não foi.
  • Não se preocupe! Se o caminhada está difícil, é porque está no caminho certo.
  • Não confie em todo mundo, tenha um pé atrás com tudo e todos.
  • Ser boazinha demais é o que te dá o título de trouxa e ser ruinzinha demais é o que deixa tua vida amarga, então seja sincera consigo mesma e tudo vai seguir seu rumo.
  • Comece tudo agora. Daqui a um ano você vai desejar ter começado hoje.
  • Você nunca vai agradar todo mundo, mas você não é a única, porque ninguém nunca agrada, e se aquela pessoa que era “importante” pra você não apoiar o que te deixa feliz, ela não merece essa moral.
  • Dormir o dia todo é bom, mas o sono não sumirá com teus problemas.
  • Ficar com raiva de certas pessoas só vai atingir a você mesma, a pessoa em questão vai continuar bem e feliz com a vida dela, enquanto você ta aí se matando de ódio.
  • Independente da merda que você tenha feito ninguém vai lembrar no futuro, seja daqui a um dia, um mês ou um ano.
  • Escreva muito! Caso tenha sentimento transbordando, seque-o com folha de papel, caso tenha sentimento faltando, preencha com ponta de lápis.
  • Ter vergonha do passado é ridículo, sofrer com o que já passou só faz mal e não muda o que já aconteceu.
  • Tire muitas fotos e se puder mantenha tudo no cru, é bom lembrar-se do que já passou, nostalgia é diferente de saudade, e é uma sensação gostosinha de sentir.
  • Espero que ao longo do seu ano você venha bastante aqui para lembrar-se do que eu te desejo.

quarta-feira, março 09, 2016

As 10 coisas que o Ed Sheeran já disse em suas músicas que eu mais gosto


Acho que todo mundo notou no post anterior -aqui- o quanto eu gosto do Ed Sheeran, a verdade é que eu sou viciada nesse homem e nesse ano faz 5 anos que eu sou sheerio. muito tempo sendo trouxa e chorando por essa bola peluda ruiva.
Estava me segurando há tempos para fazer um post só sobre ele, mas a hora chegou! Particularmente, sou mais apaixonada nas músicas do + pra baixo, mesmo assim aqui vai ter música de várias fases.


"And in a pipe she flies to the Motherland or sells love to another man, it's too cold outside for angels to fly"
"E em um tubo, ela voa para a terra-mãe ou vende o amor para outro homem, está muito frio lá fora para os anjos voarem." - The a Team
"We’re stuck taking time and wasting mine, running around and crashing down in you I trust nevermore, leaving you in sand and glass"
"Estamos presos tirando tempo seu e desperdiçando o meu, correndo em volta e desabando, em você eu confio nunca mais" - No Luck


"This town is alive, with lights that blind keep me awake put my hood up, unlace and tie, the street fills my mind, don't control what I'm into"
"Esta cidade está viva, as luzes que cegam me mantêm acordado, coloco meu capuz, desamarro e amarro, as ruas enchem minha mente, não controlo o lugar onde estou." - The City
“You know I got to get away to find some peace and sanity I’ve been playing hide-and-seek too long shaking, making, everybody waking.“
 "Você sabe que eu tenho que ir embora para encontrar um pouco de paz e sanidade, eu estive brincando de esconde-esconde por muito tempo tremendo, fazendo todo mundo acordar." - Pause


“Don't drop me in, it's not my turn If you cut deep then I might learn That you scarred and left me like sunburn”
“Não me deixe ainda, não é o meu tempo, se você me machucar talvez eu aprenda que você me marcou e me deixou como queimadura de sol.” - Sunburn 
“So you can keep me inside the pocket of your ripped jeans holding me close until our eyes meet you won't ever be alone wait for me to come home”
“Então você pode me guardar no bolso do seu jeans rasgado, me abraçando perto, até nossos olhos se encontrarem, você nunca estará sozinha, espere por minha volta para casa.” - Photograph 


“You know I'll fight my corner and that tonight I'll call ya after my blood, is drowning in alcohol.”
“Você sabe que eu vou lutar pelo meu canto e que esta noite vou chamar você, depois que o meu sangue estiver se afogando em álcool “ - Give Me Love
“I can't shake this feeling now we're going through the motions hoping you'd stop"
Eu não consigo me livrar desse sentimento, agora estamos atravessando os sentimentos na esperança que você pudesse parar - I'm a Mess 


"I'm out of sight I'm out of mind I'll do it all for you anytime and out of all these things I've done I think I love you better now"
"Estou escondido, perdi a cabeça, eu faria de tudo para você a qualquer hora e, dentre todas essas coisas que fiz, acho que amo você mais agora" - Lego House
"Tell me your secrets, give me a friend, let all the good times flood in. Do I love you? Do I hate you? I can't make up my mind so let's freefall see where we land."
 "Conte-me seus segredos, dê-me um amigo, deixe todos os bons tempos fluírem. Eu te amo? Eu te odeio? Não consigo me decidir então, vamos cair em queda livre, ver onde nós aterrissamos." - Where We Land

domingo, março 06, 2016

6 on 6 - música


Esse é talvez o primeiro post que faço há 1 mês, todos os outros que ocorreram no mês de fevereiro já estavam arquivados para meses como esse, que eu não consigo parar e pensar no que fazer. Bom, as coisas estão voltando para seus lugares, e prometo tentar deixar uma frequência agradável para todos!

O 6 on 6 desse mês é música, e até agora foi o meu preferido, o resultado das fotos excederam minhas expectativas, foi muito prazeroso fotografar e pretendo procurar mais projetos para que continue.


6 on 6 é um projeto fotográfico que são 6 blogs postando 6 fotos com algum tema que elas irão escolher todo dia 6, o intuito é estimular a fotografia e com ela mostraras pequenas maravilhas da nosso vida.


-acho que vocês irão notar o quanto eu gosto do Ed Sheeran-


sábado, fevereiro 27, 2016

os monstros debaixo da cama.



Então menina, você acha que se livrará de seus pesadelos e temores ignorando aqueles que se importa com você? Não adianta jogar na cara de algumas pessoas falsas verdades que nem engana a si mesma.

Eu te entendo meu bem, eu entendo perfeitamente, a situação do seu corpo e da sua mente. Eu entendo quanto cansada você está, mas infelizmente as coisas não tomarão outro rumo porque você quer que. Nunca foi assim e nunca irá ser.
Você não precisa mais revisar sua conversa com quem quer que seja para procurar algum erro que talvez você tenha dito, ou analisar cada letra que foi direcionada a você, a busca de uma mensagem subliminar porque mesmo que ache as chances de voltar atrás do dito e não dito são nulas.

Então para de se policiar e transborde todo o sentimento e cor, ou a falta destes, porque seu tempo não para e você não poderá voltar para corrigir algo fora de contexto porque por mais errado que seja isso, é o verdadeiro, é o certo, é você.

sexta-feira, fevereiro 19, 2016

50 coisinhas lindas do cotidiano


Inicialmente a lista das 100 coisas do cotidiano não era para ser postada, era e ainda é uma coisa bastante pessoal, mas tem muita gente que passa o dia todo sobrevivendo para chegar ao final do dia e falar que foi uma bosta, passando despercebido de todas as coisas simples e maravilhosas do dia.
Então como são 100 coisas, iniciei a série e aos poucos fui postando, esse era para ser o terceiro post, mas eu atrasei muito e resolvi finalizar com as 50 coisas que ainda faltava. 
Só queria agradecer a quem pediu para eu prolongar a série mesmo não podendo, a todo mundo que retribuiu o amor que eu coloquei para fazer esses posts nos comentários, ao invés de vocês esperarem para eu notar as coisas e fazer a lista, façam a sua própria. É mara.

  1. Finalmente encontrar aquele artista que você tanto gosta.
  2. Ouvir a gargalhada da sua mãe.
  3. Descobrir uma promoção naquilo que você tava precisando.
  4. Ser elogiada pelo seu professor.
  5. Finalmente fazer aquela tarefa que tava pendente há dias.
  6. Terminar aquele livro incrível.
  7. Ligar a TV quando seu programa preferido acabou de começar.
  8. Usar a roupa com cheirinho de alguém especial.
  9. Quando alguém que você admira muito te admira também.
  10. Quando alguém lava a louça sem ninguém pedir.
  11. Sensação de dever cumprido.
  12. Acertar no chute.
  13. Brigadeiro de panela.
  14. Primeiro dia de férias.
  15. Alguém que é tão fã quanto você do seu cantor favorito.
  16. Ajudar alguém com alguma coisa que para você é simples, mas para aquela pessoa é super complicado.
  17. Quando tem lasanha.
  18. Ir ao show do seu cantor preferido.
  19. Não ter absolutamente NADA para fazer.
  20. Quando você percebe várias indiretas e simplesmente não se importa com elas.
  21. Quando você consegue comprar tudo que queria e ainda sobra dinheiro para o sorvete.
  22. Quando você conseguiu assistir todos os seus filmes (séries) e já pode ver os novos que te indicaram.
  23. Quando você empresta dinheiro para sua mãe, e não ao contrário.
  24. Quando você consegue atravessar uma porta giratória sem ter que empurrar.
  25. Quando você abre o pote de sorvete e não é feijão.
  26. Quando você acorda um minutinho antes do despertador.
  27. Ganhar aquilo que você realmente queria.
  28. Quando suas unhas estão gigantes e não quebram de jeito nenhum.
  29. Quando você consegue escolher a roupa de primeira.
  30. Quando alguém Twitter que você é fã favorita um tweet seu.
  31. Quando um famoso que você é fã te responde o direct do Instagram.
  32. Quando seu conselho realmente ajuda alguém.
  33. Quando você consegue realizar uma coisa que idealizava há muito tempo.
  34. Assistir um vídeo inteiro em alta qualidade e não travar nenhuma vez.
  35. Emagrecer.
  36. Cheiro de pipoca de cinema.
  37. Quando você consegue finalmente expressar seus sentimentos.
  38. Ganhar de presente seu chocolate preferido.
  39. Aquele primeiro gole de água em um dia de calor.
  40. Acordar de madrugada e conseguir voltar a dormir.
  41. Cheirinho de casa limpa.
  42. Quando você vai pra fila e vê que não tem ninguém.
  43. Quando você faz alguma coisa sem nenhum erro.
  44. Risada de criança.
  45. Chegar em casa e tirar a mochila das costas.
  46. Cheirinho de roupa nova.
  47. Quando um atendente realmente resolve seu problema.
  48. Quando você deita na cama numa posição incrivelmente confortável e não precisa se mover mais.
  49. Ser sorteado.
  50. Quando eu consigo terminar uma lista que parecia nunca acabar.


quarta-feira, fevereiro 10, 2016

finalmente uma coisinha para você



Eu nunca escrevi nada para você, apesar daquele texto parecer muito com a nossa relação mas você não era tão importante ao ponto de me lançar no papel, precisava de inspiração de verdade, e até o desconhecido do ônibus me proporcionava isso mais que você.

Eu não me assustei quando vi você citando o que eu disse. 
Como eu falei: era pra ele. Você é um grande amigo e gosto bastante da sua companhia e você até sabe que gostei de você por 2 ou 3 semanas, mas não passou disso...

Porque tudo que eu senti, foi para ele.
Tudo que eu disse, foi pra ele.
Tudo que eu escrevi, foi pra ele.

Foi por ele que eu realmente senti algo além de carência, e passei o tempo todo dedicando minha escrita. Eu nunca escrevi nada para você, porque até esse texto aqui, eu sei que é pra ele.

segunda-feira, fevereiro 08, 2016

[Resenha] Filme Eu Matei Minha Mãe de Xavier Dolan


Um filme que ou você ama ou você odeia, "Eu Matei minha mãe" foi escrito, dirigido, produzido, e até protagonizado por um cara só: Xavier Dolan. Seu primeiro filme depois de vários curtas-metragens premiados chamou bastante atenção da crítica e dividi opiniões principalmente porque é encarado como um desabafo cinematográfico.

Título Original: J'ai tué ma mère
Direção: Xavier Dolan
Gênero: Drama, Cinema Independente
Ano: 2010
Minha Avaliação (0-10): 8,5

Hubert (Xavier Dolan) tem 17 anos e não ama sua mãe. Além de só ter olhos para o gosto kitsch, as roupas bregas e pequenos detalhes como a forma que ela come, ele a vê com desprezo. Os mecanismos de manipulação e a culpabilização empregados por ela também não lhe passam desapercebidos e Hubert se vê progressivamente tomado por uma relação de amor e ódio fora do seu controle. Confuso, ele vaga pela adolescência ao mesmo tempo marginal e típica, repleta de descobertas artísticas, experiências ilícitas, amizades e sexo.


O filme começa e na primeira cena você fica sem saber como reagir já que a primeira discussão dos dois já está acontecendo e o filme ainda nem fez 5 minutos. A narrativa relata a relação explosiva e complicada de Hubert (Xavier Dolan) e sua mãe Chantale.

A raiva que Hubert sente dela é mostrada de uma forma tão intensa e real que fica difícil posiciona-lo como dramático, a relação de ambos piora ainda mais quando ele conhece a mãe de Antonin, seu namorado, já que a liberdade que ela dá para ele é tudo que Hubert gostaria de ter em casa. 
Imagino que, às outras pessoas, odiar a mãe pareça um pecado. É uma hipocrisia. Estou certo de que também odiaram suas mães. Talvez um segundo ou todo um ano. 
Uma coisa que me incomodou demais é que Chantale fica comparando todos e tudo o tempo todo, mas em questão de afinidade ambos os personagens são bastante irritantes, a implicância do protagonista e a ironia da sua mãe são pontos altos no drama, fica difícil ter um preferido durante as discussões já que nenhum dos dois deixa o outro para trás.

Nos olhos de Hubert a gente consegue ver a repulsa que ele sente e como é incrível a capacidade dele se irritar com ela, por outro lado Chantale não é a personagem que nos faz ter pena, ela é dramática, irritante e a sua ironia chega a dá dor nos nervos em qualquer um.


Mas apesar de tantas características que o filme apresenta, Eu Matei Minha Mãe não é um filme de ódio e não devemos levar o nome para o literal (não acontece nenhum tipo de morte a não ser a metafórica), fica claro que ele ama sua mãe, e muito. Algumas cenas como a conversa entre os dois quando Hubert está drogado ou a despedida de quando ele vai para o internato mostram o quanto é real o sentimento colocado no filme provocando afinidade para quem tem alguma relação parecida ou só compreende o quão difícil deve ser.
-O que você faria se eu morresse hoje?
-Morreria amanhã
.

Um ponto que gera bastantes opiniões são as transições feitas por imagens aleatórias e os flashes da infância de Hubert, já que são impostas em momentos que não tem a ver com o que está acontecendo realmente.

Hubert não tem raiva de sua mãe por ela não fazer suas vontades, é visível que ambos estão perdidos, um tentando recuperar a proximidade que existia quando eram mais jovens e outro procurando sua independência e provando do que sua adolescência oferece.


O filme é realmente muito bom, apesar de que a vida dos personagens não é muito bem explorada.
A fotografia é linda, parece que foi passada uma camada de efeito do vsco durante o filme e o enquadramento é ótimo.
O roteiro é realmente muito bom construído gradativamente e tem suas melhores partes no início e no final.

Apesar de todos os aspectos visuais serem incríveis e não pecar em nenhum momento, o foco do filme maior é no emocional.

Eu Matei Minha Mãe representou seu país no Oscar, ganhou três prêmios em Cannes e o Prêmio da crítica no Palm Springs Internacional Film Festival.
Odeie quem você quiser e diga o que quiser, você tem razão. Talvez seja o melhor. Odiei muita gente também e não morri. Continuo viva.

sábado, fevereiro 06, 2016

6 on 6 - colorido


Todo dia 6, eu e mais 5 pessoas postam em seus blogs, 6 fotos com algum tema que escolheremos entre a gente, o do mês passado você pode ver clicando aqui e como fevereiro é o mês do carnaval, pensamos em fazer alguma coisa relacionada, o tema desse mês é colorido.

segunda-feira, fevereiro 01, 2016

o gotejar de nós dois


Hoje eu passei a noite em claro, adormeci por um momento e logo acordei assustada, infelizmente você não estava aqui para me abraçar.

Tateei meu lado esquerdo e não te encontrei, faz duas semanas que você se foi e a marca do seu corpo ainda está nos lençóis.

A cada passo que eu dou, o cheiro da sua loção de barbear invade meu olfato.

Todo momento em que me olho no espelho, seu reflexo aparece de imediato e nossas faces se misturam.

Ainda não acredito que você me deixou, não acredito que o gosto do vinho barato está na minha boca e não acredito que ainda há estilhaços da nossa discussão.

A realidade ainda dói só em ser pensada.

Naquela noite em que você saiu me levou, mas deixou meu corpo junto com o cheiro do álcool que exalavam de nossa pele.

Esquece as palavras, as fotos, a carta.

Mas não esquece minha alma, e traz de volta, toda minha sanidade.

quinta-feira, janeiro 28, 2016

25 coisinhas lindas do cotidiano #2


Essa é a segunda parte da lista que são de 100 detalhes maravilhosos que a vida nos proporciona e não reconhecemos, para ver a primeira é só clicar aqui.

Ainda falta mais 2 posts para completa-la e ta sendo tão bom ver que agora tem gente prestando atenção, continuarei postando até finalizar essa lista.

  1. Passar uma meta.
  2. Tirar o salto.
  3. Descobrir um jeito mais fácil de fazer uma coisa que você já fazia antes.
  4. Quando sua mãe vai ao mercado e lembra-se de comprar seu biscoite favorito.
  5. Descobrir interesses em comum com alguém.
  6. Quando ninguém mais quer o ultimo pedaço de pizza.
  7. Ganhar uma discussão.
  8. Rolar o rolo da câmera cai logo na foto que você queria.
  9. Quando alguém interessante passa, você olha pra trás e vê que a pessoa olhou para trás também.
  10. Achar sem querer o que você tava procurando há muito tempo.
  11. Esticar as pernas depois de um dia longo.
  12. Comer com seus melhores amigos.
  13. Dormir sozinha numa cama de casal.
  14. Arremessar alguma coisa no lixo e acertar de primeira.
  15. Pegar seu celular com 100% de bateria.
  16. Tirar o sutiã.
  17. Passar o dia inteiro comendo e assistindo filme.
  18. Conversar com alguém que você pode ser 100% você.
  19. Tirar a maquiagem.
  20. Quando alguém te oferece ajuda para te carregar algo pesado.
  21. Quando no meio do filme você lembra qual o outro personagem tem o mesmo dublador.
  22. Passar naquela fase difícil do jogo.
  23. Quando alguém rir da sua piada.
  24. Receber amor do seu cachorro quando você chega em casa.
  25. Quando algum conhecido para e te da carona.

terça-feira, janeiro 26, 2016

a estação mais quente do ano


Foram essas folhas que a seguiram, ela não tem mais nada com elas, não mais.
Foram dias escuros, ela passava as noites encarando a chuva no portão de casa.
Não tinha ninguém na rua, a não ser lixo e estava se igualando aquilo.
Depois esmagou as flores, foi tudo maldade disfarçada de inocência, ela sabia que aquilo era errado.
Retornou a si, viu que o frio não mais agarrava na pele, e poderia arrancá-lo com as unhas, mesmo que sangrasse.
Apagou a luz e encarou seu interior, passou a ver seu espelho mais como um amigo, quem refletia ali queria o seu bem.
Tava difícil viver no subterrâneo, mas se levantou, e logo os raios de sol tatuaram seu rosto.
Rastejou o chão sujo do banheiro, achou lembranças. Guardou as consigo.
Trouxe mais de um cara para lá, matou eles, apesar de todos continuarem vivos.
Do passado ela não fala mais.
Deixa-na, porque agora ela é verão.
Agora ela é vibra por todos os lados, agora é onipresente.
Talvez ela vá à praia, aproveitar o que ela se tornou.
Verão..., que ela não é mais a mesma. 

segunda-feira, janeiro 25, 2016

25 coisinhas lindas do cotidiano #1


Depois de assistir o filme do post anterior (resenha aqui), passei a prestar atenção nos detalhes que me agradam, colocar a mão dentro dos grãos, acompanhar a criação de uma teia, ver os formatos das nuvens e tudo que me deixa muito bem com a vida, então fiz uma lista de 100 coisas que no final do dia terminam sendo despercebidas.

Como ficaria cansativo fazer uma lista de 100 seguido, vou dividir em quatro, esse é o primeiro e durante a semana irei postando aos poucos.

  1. Tirar o casaco no calor.
  2. Cheiro de café.
  3. Quando um estranho sorrir para você.
  4. Ataque de riso.
  5. Aula vaga.
  6. Quando sua musica favorita toca em qualquer lugar aleatório.
  7. Ultimo dia de aula.
  8. Quando o correio chega.
  9. Cheiro de chuva.
  10. Quando o ônibus passa assim que você chega ao ponto.
  11. E além de chegar rápido tem cadeira vaga na sua parte preferida.
  12. Conseguir fazer uma maratona de filmes/séries.
  13. Encontrar alguém que tem a mesma mania estranha que você.
  14. Quando seus pais apoiam uma coisa que você quer muito.
  15. Quando você está chorando e alguém te faz rir.
  16. Quando VOCÊ faz alguém rir quando ela está chorando.
  17. Piadas internas.
  18. Chegar em casa e tirar os sapatos.
  19. Achar dinheiro no bolso.
  20. Abrir o livro na pagina certa.
  21. Cheiro de livro novo.
  22. Massagem nas costas.
  23. Massagem nas mãos.
  24. Cafuné.
  25. Tirar nota alta em uma matéria que você precisava muito.

domingo, janeiro 24, 2016

[Resenha] Filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain de Jean-Pierre Jeunet



Tem alguns filmes que são tão magníficos e ricos em detalhes que quem escreve sobre estes se sente em dívida com o leitor por não conseguir relatar o quão maravilhoso o filme é. 
Essa é a clara relação entre mim e você que está lendo isso agora, para conhecer mais a obra é só continuar lendo.

Título Original: Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain
Direção: Jean-Pierre Jeunet
Gênero: Comédia Romântica, Drama 
Ano: 2001
Minha avaliação (0-10): 9

Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para Montmartre. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique (Maurice Bénichou). Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos, ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência. Contudo, ainda sente falta de um grande amor.

Nos primeiros minutos do filme segue uma narração que permanece durante algumas cenas, já nesses momentos a gente vê que o filme não é simplesmente um filme metódico considerado como a maioria dos filmes franceses por alguns críticos, mas sim de pequenos prazeres cotidianos que nos fazem bem.

O filme começa com a infância de Amélie e vai trabalhando nisso nos fazendo amar a protagonista cada vez mais. Nos seus seis anos, é diagnosticada nas consultas mensais com seu pai que é médico com um problema cardíaco que não passa de um aceleramento comum que a mesma sente quando seu pai a toca, por ser algo tão raro já que ele não dá a devida atenção a ela.

Por esse problema, ela passa ser educada em casa pela própria mãe que é professora não tendo assim, nenhum contato com crianças, afetando seu relacionamento com outras pessoas em sua vida adulta. Tempos depois, sua mãe morre e o acontecimento só piora seu relacionamento com o pai. Já adulta decide sair de casa e se muda para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete.


E é nessa transição que entra em cena a queridíssima Audrey Tautou, a atriz com o maior carisma que eu já encontrei nas telas de cinema e com o sorriso mais cativante da história. A entrega da Amélie para as pessoas é a mesma da Audrey para o papel, com todas suas caras e bocas que a própria atuação requer gera a falsa certeza para quem assiste que o filme, nunca saiu da cabeça de alguém e na verdade foi tudo real.
Sem você, as emoções de hoje seriam apenas uma pele morta das emoções do passado.
Tudo fica mais excitante quando Amélie encontra no rodapé do seu banheiro uma caixa de lembranças que está lá há 40 anos e decide entrega-la ao seu dono. A partir daí ela decide algo que pode mudar sua vida: se a reação do proprietário da caixinha for positiva, ela começará a influenciar na vida das pessoas ajudando-as, se fosse negativa abandonaria a ideia.
Resultado: ele chora de emoção ao rever praticamente toda infância em suas mãos.
Então, pequena Amélie, os teus ossos não são feitos de vidro. Podes levar algumas pancadas da vida. Se deixares escapar esta oportunidade, eventualmente o teu coração vai ficar tão seco e quebradiço como o meu esqueleto. Então, vai apanhá-lo!
O filme todo é completo por uma camada leve de laranja e vermelho, qualquer momento que alguém pausasse o filme poderia ser facilmente confundido por uma fotografia, e em falar de fotografia, o filme é rico nesse quesito, todos os momentos calculados milimetricamente dão ao filme um toque tão singular que você só ver na maioria dos seus sonhos.

Todos os personagens tem uma carga de peculiaridade fora do normal, e é tão gostosinho de ver como cada um é intenso de seu jeito, desde o vizinho ao amor da vida da protagonista.

Sem falar do cenário, depois de 1 hora já estava com a ideia concreta de querer viver nem que seja por uma semana em alguma parte da frança para sentir o tanto que os personagens sentiam.

A trilha sonora é quase toda instrumental e trás a certeza que seja onde ou quando que você escutar La Valse D'amelie vai parar totalmente seu cérebro e colocará suas partes preferidas do filme diante de seus olhos.



Algumas cenas tiraram lágrimas dos meus olhos, principalmente do final. Talvez por me identificar com cada um que estava fazendo o que gostava ali ou pelo simples fato de Amélie ser tão sonhadora quanto eu, a verdade é que eu passei a ver a história como algo que mexeu com o meu interior, vai mais além de um filme e isso eu não teria como explicar a alguém porque ninguém entenderia a profundidade desse filme para mim, a não ser eu, óbvio. 

Provavelmente você assista e não concilie minhas palavras com o filme, já que eu elogiei bastante. Pode ser que goste tanto ou até mais que eu. Talvez você não goste nem um pouco e não entenda tanta devoção.

Mas isso é de pessoa para pessoa e a qualidade do filme não será contestada de forma alguma já que está mais que provada o merecimento nas cinco premiações do Oscar em 2001.

A vida é bela, apesar de tudo.
 
Layout criado e codificado para o blog Folhas de outono | Cópia proibida © 2016